sexta-feira, dezembro 19, 2008

Muito e bom trabalho

A maioria das vezes andamos tão atarefados a tentar arranjar soluções, para conseguir enfrentar os problemas com que nos deparamos no dia-a-dia, que não prestamos atenção ao muito de bom que fazemos. Embora alguns tentem escamotear e desvalorizar o trabalho desenvolvido pelos comunistas e seus parceiros de coligação no poder local democrático, a qualidade do trabalho, a honestidade e a competência são de tal modo evidentes que as mais diversas instituições e organismos são obrigados a reconhecer o bom trabalho desenvolvido pelas autarquias CDU.

Neste ultimo mandato por diversas vezes o município do Seixal viu reconhecido o bom trabalho desenvolvido, assim o foi quando recebeu o premio autarquias 2006 pelo excelente trabalho efectuado no desporto escolar. Também o Seixal Digital foi apresentado como um exemplo de como o investimento em novas tecnologias pode ser uma mais-valia para as populações. O nosso Concelho também recebeu 1º lugar nacional dos prémios europeus de iniciativa empresarial, sendo um dos municípios pioneiros na simplificação administrativa. Nem de propósito assisto a uma daquelas galas que falam da integração, com o bla,bla,bla do costume e não podia deixar de referir que ainda à pouco tempo o Concelho do Seixal foi reconhecido com Prémio das Melhores Práticas de Acolhimento e Integração, um premio atribuído por várias fundações e outras instituições ou Organizações da Sociedade Civil.

Não só do Seixal vos darei conta neste post, pois o projecto autárquico da CDU afirma-se nos mais diversos locais. Em 2oo7 a Rádio Clube viria a reconhecer o comunista João Rocha como o autarca do ano no nosso país e quem conhece Serpa sabe que o trabalho autárquico realizado pelo colectivo da CDU merece todo o reconhecimento, o João Rocha reconheceu que o prémio era dos trabalhadores de Serpa, dos seus colegas de executivo e do seu Partido. Um pequeno aparte por vezes vejo algumas cidades serem declaradas capitais anuais da cultura, que depois desenvolvem meia dúzia de iniciativas que após o seu términos, não têm qualquer continuidade, em Serpa no interior do nosso país vive-se a cultura todo o ano.

De Mora poucos tinham ouvido falar, devido ao trabalho desenvolvido pela autarquia este Concelho do interior alentejano passou a estar na ordem do dia, graças ao Fluviário de Mora que já levou ao concelho mais de 200 mil pessoas, cerca de 40% turistas espanhóis.
O Fluviário foi considerado o melhor museu português de 2008 e deveria fazer corar de vergonha o governo do PS que recusou qualquer apoio ao projecto, apesar de já existir um compromisso assumido pelo estado, mas como não estamos perante pessoas de bem, é obvio que não cumpriram com o que estava assumido, prejudicando claramente a população de Mora e mesmo o desenvolvimento da região, devido aos mesquinhos interesses partidários do PS.

Mais próximo de nós uma freguesia da capital do país, a freguesia lisboeta de Carnide recebeu um Premio Internacional sobre Boas Práticas em Participação Cidadã.
O projecto de Carnide foi avaliado a par com outras 26 experiências internacionais de países tão distintos como seja a Argentina, o Peru, a Espanha, o México, o Brasil, a Itália, a França ou o Canadá. A avaliação ficou a cargo de um comité que reúne representantes de autarquias locais e de universidades internacionais. Deixo-vos esta pequena nota participam mais pessoas no Orçamento Participativo da Freguesia de Carnide, do que no orçamento participativo da CM de Lisboa.

Por último e para não alongar muito mais o post, que já está demasiado extenso não poderia deixar de fazer referência ao meu camarada, membro do Comité Central do PCP e presidente da CM de Moura, José Pós-de-Mina que foi nomeado pela revista e site OneWorld, dos Estados Unidos da América, como uma, das personalidades do ano. A OneWorld constitui uma Rede Global de 13 Centros espalhados pelo Mundo, da Finlândia à Índia e da Indonésia à Zâmbia. A nomeação teve em consideração a análise efectuada a partir de organizações não-governamentais. Empenhamento nas questões dos direitos humanos, justa distribuição dos recursos naturais e económicos, assim como, o direito de informar e ser informado foram alguns dos critérios para esta nomeação. Se em vez de um autarca comunista, do interior alentejano tivessem nomeado, um autarca do sistema por exemplo o fraquinho presidente da CM de Lisboa ou o Menezes de Gaia, nem imagino o destaque que a nossa imprensa daria. Assim faz-se de conta que não se passa nada e pode ser que o pessoal não saiba que o projecto autárquico da CDU, mesmo sendo dificultado pelo bloco central de interesses (PS/PSD) consegue-se afirmar, é reconhecido e mais importante mesmo num quadro de grande dificuldade demonstra que é possível uma vida melhor para os portugueses.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home