quinta-feira, outubro 16, 2008

Cantaremos Adriano, Sempre




«A única luta pelo poder em que estou empenhado é a luta para que o povo português tome o poder e que nessa luta tenha um papel determinante a actividade do aparelho político organizado que é o PCP, a que pertenço.» Adriano

Memória de Adriano
Nas tuas mãos tomaste uma guitarra
Copo de vinho de alegria sã
Sangria de suor e cigarra
Que à noite canta a festa da manhã

Foste sempre o cantar que não se agarra
O que à Terra chamou amante e irmã
Mas também o português que investe a marra
Voz de alaúde e rosto de maçã

O teu coração de ouro veio do Douro
num barco de vindimas e cantigas
tão generoso como a liberdade.

Resta de ti a ilha de um Tesouro
A jóia com as pedras mais antigas.
Não é saudade, não! É amizade.

José Carlos Ary dos Santos



0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home