quinta-feira, julho 24, 2008

Pela Saúde a que temos direito



O governo do PS tem sido marcado por uma governação falhada nos mais diversos sectores como temos assistido dia após dia, mas na Saúde a incompetência tem sido por demais evidente, as notícias de hoje dão-nos uma vez mais prova dessa incompetência, os investimentos reais nos Hospitais EPE irão ter uma redução em relação ao que eram os investimentos previstos, cerca de 50% este ano e cerca de 35% no ano que vem, ou seja serão menos 120 milhões de euros que não vão ser investidos nos hospitais em 2008 e 2009, contrariando os anúncios do governo, sinceramente não me recordo, mas tendo em conta que este governo é só deprimente propaganda, provavelmente aquando dos planos para os hospitais devemos ter tido uma grande operação de marketing a anunciar os investimentos nos hospitais e neste momento o que verificamos que o governo falhou uma vez mais.

No Concelho do Seixal sabemos bem o que tem custado a péssima prestação do governo na área da saúde, fez no dia 17 de Julho um ano que este governo do PS encerrou de uma forma completamente incompreensível os SAP’S de Seixal e Miratejo (Corroios), dificultando ainda mais o acesso da população do Seixal aos cuidados de Saúde a que tem direito, mas a população do Concelho do Seixal não tem desistido de lutar e a petição que as comissões de utentes do Concelho do Seixal promoveram e entregaram na Assembleia da Republica com 40 000 assinaturas, no dia 27 de Novembro de 2007 já foi aceite (15 de Julho 2008) pela Comissão de Saúde e aguarda agora por apreciação em Plenário da Assembleia da Republica, na ultima reunião que a ministra teve com as autarquias de Seixal, Sesimbra e Almada já disse que a reabertura dos SAP’S poderia ser uma realidade, mas o que a experiencia nos tem dito é que isso só será uma realidade se a acção das populações assim o exigirem.

O processo do Hospital no Concelho do Seixal, tem demonstrado que a luta das populações de Almada, Sesimbra e Seixal vale a pena, mas que este é um processo longo e que não podemos baixar os braços, pois corremos o risco de o Hospital se tornar somente uma miragem, pois se hoje existe uma tomada de posição e um compromisso politico assumido que o Hospital no Concelho Seixal é uma necessidade, foi fruto da luta das populações do nosso Concelho, das autarquias e de diversas instituições que se juntaram na Plataforma Juntos Pelo Hospital no Concelho do Seixal, não tivessem existido as petições, a massiva participação pública, as diversas manifestações e o imenso cordão humano em torno da Baía do Seixal e seguramente que a decisão de construir o Hospital no Concelho do Seixal nunca teria sido tomada.

Assim sendo para conseguirmos os cuidados de saúde a que temos direito, temos que continuar mobilizados e manifestarmo-nos pelos serviços de saúde a que temos direito, não é compreensível que o novo Centro de Saúde Corroios seja adiado eternamente, assim como o da Quinta do Conde e que a Freguesia da Aldeia de Paio Pires não tenha serviço de saúde, não é admissível que o processo do Hospital no Concelho do Seixal esteja fechado numa qualquer gaveta do governo há dois anos, não é admissível que mais de 75 000 utentes de Seixal e Sesimbra não tenham medico de família, 50 mil dos quais no nosso Concelho, não é admissível que os utentes e profissionais do Hospital Garcia de Orta sejam sujeitos a condições de atendimento e de trabalho desumanas e com todo este cenário, muito menos será admissível que a solução passe por encerrar serviços de saúde tal como vez o governo do PS.

Só a luta é o caminho

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home