quinta-feira, março 22, 2007

Paio Pires - Ontem, Hoje e Amanhã


Enquanto escrevíamos sobre a futura ETAR que se irá construir na Aldeia de Paio Pires, lembrávamo-nos das incursões pelas hortas próximas da siderurgia, pelas capoeiras principalmente em alturas próximas do Carnaval, ainda hoje há quem vá as capoeiras mas os motivos e as necessidades são outras, para ir às capoeiras não era necessário ir tão longe, o que não faltava pela Aldeia era criação, embora ainda exista muita já não se compara, mas a incursão não era somente pelas hortas e íamos mais além, pisávamos os terrenos da fábrica e aí explorávamos o que podíamos, riscos praticamente não existiam pensávamos nós, o principal risco era algum dos operário reconhecer um dos aventureiros, algo que se poderia tornar num problema doméstico algumas horas depois, atravessada a siderurgia chegávamos à praia, com vista para os fuzileiros e com lodo até aos joelhos, com um pouco de sorte apanhávamos maré-cheia o que possibilitava uns banhos numas águas muito ricas em diversos minérios, problemas de pele só me recordo de anos mais tarde, mas por essa altura há muito que não frequentávamos as praias da Aldeia, nem sequer a dos Tesos e nem foi nas da Costa, foi pelos lados do Algarve quando ainda só tinha um L, provavelmente agora com dois isso já não sucede.

Aquilo que esperamos e que desejamos para os que no futuro frequentem e se aventurem nos antigos terrenos da Siderurgia é que encontrem uma paisagem bem melhor do que nós encontrámos e que naquela altura parecia deslumbrante, não conhecíamos grande coisa, era o ganha-pão da maioria das nossas casas e para nós consciência ambiental era coisa que desconhecíamos por completo, mas hoje quando grande parte desses mesmos terrenos estão ao abandono, atolados de resíduos e assistimos durante muito anos à desresponsabilização dos sucessivos governos pela resolução do grave problema ambiental, ficamos pelo menos com a esperança que o estudo que a Parque Expo irá realizar devolva aquele local a dignidade que merece e que os paiopirenses possam desfrutar de um lugar que desde sempre foi o motor de desenvolvimento não só da nossa Aldeia de Paio Pires, mas de uma boa parte da região e voltamos novamente à ETAR, é um primeiro passo, porque a qualidade da água será melhor, quanto ao resto aguardaremos com expectativa por uma solução, não sabemos se a auscultação publica é obrigatória ou não para este caso, mas deverá ser sempre efectuada, porque, por muito boa que seja a solução apresentada não deve nunca deixar de ouvir as massas populares.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home