terça-feira, julho 17, 2007

O negócio do lixo

O desinvestimento que muitas autarquias tem feito na limpeza urbana tem levado à privatização parcial deste serviço em muitos locais, que numa primeiro momento são parciais mas no futuro conduzirão à privatização total, com todas as consequências que dai advêm, aumento do desemprego, a subida de taxas para pagar aos privados (um encargo superior para todos nós) e um serviço prestado em piores condições.

Bem sei que o investimento em viaturas que prestam este serviço público é bastante avultado e não “gera votos”, como tal foi com agrado que vi a CM do Seixal fazer um avultado investimento na frota automóvel que presta este tipo de serviços, mais de um milhão de euros, tendo em conta que o “lixo” é um bom negocio para os privados, também o será para o "público" se bem gerido, as autarquias e os munícipes só terão a ganhar com a manutenção destes serviços no domínio publico, mas para tal é necessário que se invista o que não deverá acontecer em muitos locais.

“As actividades relacionadas com o lixo (tratamento, recolha e reciclagem de resíduos urbanos) - controladas essencialmente por organismos públicos - movimentam anualmente cerca de 550 milhões de euros. As empresas que operam nesta área reclamam o alargamento do espaço de operação aos privados e ameaçam com uma queixa em Bruxelas contra o Estado caso o Governo não abra este mercado.”

Estas declarações dos operadores privados só me levam a crer que a manutenção destes serviços terão que ser prestados pelo estado, na maior parte estes serviços são da responsabilidade dos municípios e assim devem continuar.

1 Comments:

Anonymous sempre fiéis said...

Esta dá para rir....................................e mais não digo................................."companheiro"

10:04 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home