terça-feira, abril 03, 2007

Verdades inconvenientes

Leio no DN que o numero de trabalhadores que aderem as greves tem diminuído, mas também diziam o mesmo dos que aderiam a manifestações e estas ultimas têm demonstrado o contrário, mas aquilo que li e que me despertou a atenção no DN, foi um pequeno gráfico que vem somente na versão papel e que apresenta um gráfico em que analisa o período de 1970/99 e numero de dias de greve por cada mil habitantes em diversos países, mas curiosamente esse gráfico só merece um breve comentário, porque ao contrario do que a imprensa nacional quer fazer crer, dos fazedores de opinião e que o ministro da economia reconheceu em viagem ao estrangeiro, em Portugal a contestação social é baixa e à conta disso eles vão-nos lixando.

Aquilo que assistimos cada vez que os trabalhadores decidem fazer uma greve independentemente do sector que ela se realize ou quais os motivos que conduziram a este último recurso, é que os trabalhadores estão sempre em greve, são uns malandros que não querem trabalhar e que se a situação está complicada a eles se deve, este tipo de opinião nasce fruto de uma intensa intoxicação promovida pela imprensa amordaçada e manipulada por quem manda, pelos Sousa Tavares e Marcelos de serviço, mas a realidade é bem diferente e os trabalhadores portugueses são dos que menos greves fazem na União Europeia e já que o primeiro-ministro está sempre a falar na Finlândia, façamos como os finlandeses em que o numero de dias de greve é quatro vezes superior ao de Portugal, na nossa vivinha Espanha que parece servir de exemplo para tudo, que sirva aqui também, por lá os dias de greve são seis vezes superiores aos de Portugal e também aqui estamos muito abaixo da média da União Europeia, três vezes menos, ou seja muito longe do cenário que os fazedores de opinião e os governantes gostam de criar, ninguém mais que os trabalhadores gostaria de evitar uma greve, seria sinal que as suas pretensões e justas reivindicações teriam sido escutadas, completamente o contrario daquilo que assistimos nas últimas décadas em Portugal e que se agravou com este governo que se diz socialista, depois de ter eternizado o trabalho temporário, quer agora liberalizar os despedimentos, só a união e a luta dos trabalhadores pode mudar esta situação.

Deixo-vos aqui alguns dos números que poderão confirmar no DN de hoje.

Itália 764*
Espanha 581
Finlândia 396
Áustria 369
Nova Zelândia 322
Reino Unido 311
União Europeia 224
Dinamarca 202
França 161
Bélgica 143
Portugal 97
Suécia 92


*Nº de dias de greve por cada 1000 trabalhadores.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home