quarta-feira, novembro 07, 2007

Revolução de Outubro



Deixo-vos partes de um texto de Manuel Gusmão sobre a Revolução de Outubro, que vem num destacável do Militante que poderão ler aqui.

"A grande Revolução triunfa onde outras tentativas de emancipação dos explorados e oprimidos fracassaram, desde as revoltas dos escravos de Roma, às revoltas camponesas, às insurreições operárias do século XIX, até à Comuna de Paris. A própria participação popular na Revolução francesa tinha sido defraudada pela burguesia. A primeira revolução vitoriosa é assim portadora da memória activa de lutas, sonhos e esperanças, utopias milenares e sempre vencidas. O projecto comunista de construção do socialismo e do comunismo, que vence com a Revolução de Outubro, dá início à edificação de um tipo de sociedade nunca antes conhecido pela humanidade na sua história. Paradoxalmente, no quadro de profundas dificuldades (e também de potencialidades exigentes) que enfrentamos na nossa luta, talvez possamos perceber melhor, hoje, o seu carácter profundamente novo, avaliar as suas dificuldades, compreender o seu carácter de primeira tentativa histórica e, ao mesmo tempo, aprender a situar, na longa duração, a sua significação e a significação da dramática derrota das primeiras sociedades construídas com o objectivo do socialismo e do comunismo.

Hoje, a ideologia burguesa celebra a vitória do capitalismo, tornado sistema mundial hegemónico, e tende a apresentá-lo como o estádio final da história humana, anuncia a nova ordem imperialista como o fim do socialismo e do comunismo e o máximo de racionalidade na organização do viver social. Entretanto, o mundo não se tornou mais seguro, nem mais justo, nem mais pacífico. Ao mesmo tempo que cantam vitória, o imperialismo e o grande capital transnacional desencadeiam uma ofensiva global contra os direitos económicos, políticos, sociais e culturais dos trabalhadores, conseguidos directa e indirectamente graças à Revolução de Outubro e ao impulso que ela deu ao movimento operário, popular, democrático e nacional libertador em todo o mundo. Talvez, nesta situação, se possa medir mais intensamente a imensa força que foi precisa para constituir essa sociedade nova e as enormes forças que desde o início se levantaram contra ela, e foi sendo necessário acumular para a conseguir derrotar.


A Revolução de Outubro é denegrida, mistificada e ocultada, porque justamente é o acontecimento histórico singular de massas imensas que tomam os seus destinos nas suas próprias mãos, a demonstração do poder transformador da acção humana esclarecida, poder que radica na faculdade de transformação do trabalho humano. A Revolução de Outubro é odiada porque ela continua a indicar o caminho, continua a significar que existe uma alternativa à barbárie capitalista, o socialismo e o comunismo. A Revolução de Outubro de 1917 continua a dizer-nos que um outro mundo será possível, na liberdade e na democracia, na justiça e no bem-estar social, com o poder dos trabalhadores e a emancipação social, com a criação cultural socialmente reapropriada, ou seja, com o socialismo e o comunismo."

1 Comments:

Blogger GR said...

Parabéns pelo post.
Viva a Revolução de Outubro!

GR

3:21 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home