terça-feira, novembro 27, 2007

A miserabilista estratégia do governo socialista para o Distrito de Setúbal


As Comissões de Utentes, a Câmara Municipal do Seixal e as Juntas de Freguesia do Concelho vão entregar hoje na Assembleia da Republica as 40 mil assinaturas recolhidas no Concelho do Seixal pela reabertura dos dois Serviços de Atendimento Permanente encerrados no Seixal e em Corroios, sobre a forma como foi conduzido o processo e as suas consequências já aqui falámos, mas o governo do PS continua o seu desprezo pelo Concelho do Seixal e no que diz respeito aos serviços de saúde é por demais evidente, o fecho dos SAP’s, a não construção do mais que prometido centro de saúde de Corroios, a recusa de construir a extensão de saúde na Aldeia de Paio Pires pois mais uma vez o PS recusou a proposta do PCP para a inclusão de verbas em PIDDAC para a extensão de Saúde da Aldeia de Paio Pires e o Hospital depois da promessa da sua construção não se vislumbra qualquer esforço para concretizar a obra, neste orçamento de estado o PS recusou a proposta do PCP para incluir verbas para a concretização desta infra-estrutura essencial para a margem sul, em especial para os concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra, parece que os dirigentes socialistas não desistem do seu confessado desejo de fazer da margem sul o apregoado deserto, só que têm o azar de nesta margem esquerda do Tejo estar um população dinâmica, jovem e pró activa e municipios que não se conformam com o miserabilismo que os governos PS e PSD têm conduzido o nosso país e por isso é que apesar das dificuldades que o nosso país atravessa esta região tem grande possibilidades de desenvolvimento e de ser um dos grandes pólos de crescimento do nosso país, basta que os governos sejam eles PS ou PSD ponham em primeiro lugar os interesses das pessoas e do país e em vez dos seus mesquinhos jogos partidários, basta ver o que disse Luís Rodrigues (PSD) sobre o desinvestimento do PS no distrito de Setúbal que desde que é governo já vai em menos 250 milhões euros para a região, mas Luís Rodrigues omite o facto de o governo do PSD juntamente com o CDS terem reduzido o investimento no distrito entre 2002 e 2005 e não foi um corte pequeno foram menos 140 milhões de euros de desinvestimento na região, um corte de cerca de 40%, este desinvestimento na região é posteriormente reconhecido como um erro como depois veio a afirmar Durão Barroso, já vai sendo tempo do governo do PS deixar de lado as suas estratégias partidárias e apoiar o desenvolvimento da região, porque se existe dificuldade em perceber um projecto para o desenvolvimento do país, no distrito de Setúbal existe um projecto de desenvolvimento que aproveita as potencialidades dos diversos municípios seja na industria, nas pescas, agricultura, logística ou turismo são diversas as potencialidades do distrito de Setúbal, que não pode continuar a ser alvo de constante desinvestimento, seja na saúde, educação, nas infra estruturas ou em projectos de desenvolvimento fundamentais para a região, a estratégia do governo socialista para a região não pode, nem deve ser a do apregoado deserto.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home